Dilma amplia vantagem sobre Aécio na reta final das eleições, apontam pesquisas

Por Carolina Santos

selo-eleicao-metro-eleicoes-2014-150

Às vésperas do segundo turno das eleições, as pesquisas eleitorais divulgadas nesta quinta-feira confirmaram a tendência de crescimento de Dilma Rousseff (PT) na reta final da disputa pelo Planalto.

Nos levantamentos realizados pelo Ibope e pelo Datafolha, a petista aparece à frente de Aécio Neves (PSDB) fora das margens de erro, de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

Nos Ibope, a diferença é maior: 49% a 41% para a candidata do PT (Ibope). No Datafolha, ela bate Aécio por 48% a 42%.

Levando em conta apenas os votos válidos – excluindo-se brancos, nulos e indecisos–, a vantagem de Dilma sobre o tucano no Ibope é de oito pontos percentuais, 54% a 46%.  No Datafolha, ela está seis pontos à frente:  53% a 47%.

O percentual de eleitores que afirmou ao Ibope que irá votar em branco ou anular foi de 7%. Os indecisos são 3%. No Datafolha, brancos e nulos somam 5%, mesmo índice daqueles que ainda não definiram o voto.

Rejeição

Os dois levantamentos apontam ainda um crescimento na rejeição à candidatura de Aécio. O percentual de eleitores que afirma não votar no tucano subiu de 35% para 42% (Ibope), e de 34% para 41% (Datafolha). Já Dilma ficou estável em 36%, no Ibope, e registrou uma queda de seis pontos percentuais no Datafolha, de 43% para 37%.

Avaliação positiva

A melhora de Dilma nas pesquisas também é reflexo da alta na avaliação de seu governo. No Ibope, o total de entrevistados que classificam o atual governo como ótimo ou bom passou de 43% para 45%. Já a parcela dos que avaliam a gestão como péssima ou ruim caiu de 25% para 23%.   O desempenho pessoal da presidente foi aprovado por 56% dos eleitores.

No Datafolha, 44% afirmaram que a atual administração é ótima ou boa. O resultado é o melhor obtido pela presidente desde junho do ano passado quando, após a onda de manifestações, a aprovação à gestão petista despencou de 57% para 30%.

Recorte regional

A pesquisa Ibope revela que o tucano só mantém vantagem expressiva sobre a petista no Sudeste: 47% a 39%.
No Nordeste, a vantagem da presidente chegou a 42 pontos percentuais, passando de 56% para 68% dos votos válidos. A candidata do PT ainda registrou uma elevação de 14 pontos no Sul. A disputa na região está 46% a 45% para a atual presidente.  Já no Norte e no Centro-Oeste, ela segue à frente com 47% das intenções de voto, ante 45% do adversário.

Repercussão 

No Rio de Janeiro, Aécio disse que não pauta sua campanha levando em conta os resultados das pesquisas de intenção de voto. “Eu não paro para avaliar pesquisas. Senão, sequer estaria no segundo turno”, disse.

Na avaliação do tucano, os números de ontem servirão para mobilizar seus apoiadores em todo o país. “É preciso ficar em alerta até o domingo”. O candidato do PSDB ainda comparou os últimos atos de apoio à sua candidatura com as mobilizações pelas eleições diretas, em 1984. “Foram eventos espontâneos que não víamos desde as Diretas Já. Isso mostra a força que teremos. Será uma eleição apertada, mas iremos vencer. Dilma sairá derrotada”.

Também no Rio, a petista   avaliou os resultados das sondagens como reflexo de um sentimento popular, que já era sentido nos últimos atos realizados em cidades de todo o país. “Isso ficou muito claro nas manifestações populares em Duque de Caixas,  São Paulo e nas cidades mineiras por onde passamos nos últimos dias.”

Dilma aproveitou para comemorar os dados positivos do mercado de trabalho no país. Segundo balanço divulgado ontem pelo IBGE, a taxa de desemprego chegou a 4,9% em setembro, ante 5% em agosto. O percentual é o menor para um mês  de setembro desde 2002. “Uma boa notícia hoje é que o emprego cresce e o desemprego diminui. Desde que começou a série histórica, essa é a menor taxa de desemprego de setembro. É muito importante porque não é isso que ocorre no resto do mundo.” 

Fonte: Ibope - Pesquisa realizada entre os dias 20 e 22 de outubro. O instituto ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios de todas as regiões  do país. A margem de erro  é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi encomendado pelo jornal  “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo.  A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o no BR-01168/2014. || Fonte: Datafolha - Pesquisa realizada entre os dias 22 e 23 de outubro. O instituto ouviu 9.910 eleitores. A margem de erro é de  dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi encomendado pelo jornal “ Folha de S. Paulo” e pela TV Globo.  A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o no  BR-1162/2014. Fonte: Ibope – Pesquisa realizada entre os dias 20 e 22 de outubro. O instituto ouviu 3.010 eleitores em 203 municípios de todas as regiões do país. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi encomendado pelo jornal “O Estado de S. Paulo” e pela TV Globo. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o no BR-01168/2014. || Fonte: Datafolha – Pesquisa realizada entre os dias 22 e 23 de outubro. O instituto ouviu 9.910 eleitores. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi encomendado pelo jornal “ Folha de S. Paulo” e pela TV Globo. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o no BR-1162/2014.
Loading...
Revisa el siguiente artículo