Polícia Federal prende 51 em operação contra a pornografia infantil

Por Carolina Santos
Polícia Federal busca pedófilos que atuavam pela internet em 18 estados e no Distrito Federall | Arquivo/Agência Brasil Polícia Federal busca pedófilos que atuavam pela internet em 18 estados e no Distrito Federall | Arquivo/Agência Brasil

A Polícia Federal prendeu nesta quarta-feira 51 pessoas em 18 Estados e no DF em uma operação contra a pedofilia. Outros quatro acusados já haviam sido detidos.

A Operação Darknet cumpriu 93 mandados de busca e apreensão, prisão e condução coercitiva. Outros 12 mandados seriam cumpridos em Portugal, Colômbia, México, Venezuela e Itália. A maioria das prisões (12) ocorreu em São Paulo. Os acusados responderão pelo crime de divulgação de pornografia infantil pela internet, abuso e estupro.

Entre os presos, estão um seminarista, um agente penitenciário, um militar, servidores públicos e empresários. “Não existe um perfil do criminoso que pratica esse delito porque ele é feito de forma muito oculta”, explica a delegada Diana Calazans Mann, do serviço de repressão a crimes cibernéticos da PF.

As investigações, que começaram há mais de um ano, foram baseadas em rastreamento feito na Deep Web, espaço da internet que não é acessado pelo usuário convencional e cujo conteúdo não aparece em sites de busca. Mais de 14 endereços IP (sigla para “Internet Protocol”, espécie de endereço virtual) foram analisados.

Para navegar na Deep Web, é necessário ter um programa que torna a navegação anônima. Policiais encontraram uma rede de compartilhamento e produção de  vídeos e fotos com cenas de abuso sexual de crianças e adolescentes.

O superintendente da Polícia Federal no Rio Grande do Sul, Sandro Caron, afirma que esses criminosos são pessoas próximas das crianças, como familiares e vizinhos. Em Viamão, na região Metropolitana de Porto Alegre, no momento da prisão um dos suspeitos dormia na cama com uma criança.

Em Minas Gerais, a PF prendeu um homem que pretendia abusar de sua filha assim que ela nascesse. O homem confessou os planos. “No momento da prisão a esposa, grávida de 7 meses, ficou surpresa. Ele reconheceu para a esposa e agradeceu a polícia por prende-lo, pois senão iria abusar da filha”, relatou Caron. 


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo