Feldman prevê encontro de Marina com Aécio nesta quinta-feira

Por Nadia
Marina Silva ainda não anunciou sua posição | Nacho Doce/Reuters Marina deve entrar efetivamente na campanha de Aécio nesta quinta | Nacho Doce/Reuters

Marina Silva anunciou apoio a Aécio Neves no último domingo, quando apenas confirmou o posicionamento de uma decisão tomada horas depois do fim da votação no último dia 5. Mas a candidata ainda não entrou de fato na campanha do tucano, o que deve acontecer nas próximas horas.

“Acredito que na quinta-feira eles se encontrem. Para esta quarta ficou muito em cima”, explica Walter Feldman, porta-voz da Rede Sustentabilidade, que anunciou apoio ao tucano antes mesmo do principal nome do partido.

É possível que os dois concedam juntos uma entrevista coletiva, provavelmente em São Paulo, segundo o coordenador da campanha tucana Alberto Goldman.

A distância até agora, afirma Feldman, nada tem a ver com possíveis negociações sobre a participação em um eventual governo Aécio. Nem compromissos a serem acertados.

“Não há arestas a serem aparadas. Ela (Marina) já havia sinalizado que Aécio era o caminho para a mudança pedido nas urnas, e depois consolidou ao ouvir o discurso de Pernambuco, quando ele assumiu bandeiras muito caras à Rede, que são a questão democrática, o desenvolvimento sustentável e o avanço nos programas sociais”, disse Feldman, após o debate da Band, sem citar a redução da maioridade penal, exigida por Marina, mas tratada como inegociável por Aécio.

Segundo Feldman, Aécio é “condutor da unidade nacional”. “Hoje o PT divide o Brasil. Para fazer as grandes reformas, é preciso unidade”, declarou. “Ela (Marina) ficou muito encantada com a postura do Aécio e acredita que ele vai implementar as mudanças”, afirmou Feldman, que tem um incêndio para apagar dentro da Rede.

Divisão

Após o anúncio da união com Aécio, parte dos membros do partido se colocaram contra o posicionamento. O grupo viu na decisão uma incoerência com a “nova política”, defendida por Marina no segundo turno. Mas Feldman minimiza o problema e diz que o debate – segundo ele, inadiável – será positivo.

“O voto e o apoio a Aécio incomodaram quem defendia o voto nulo. Isso produziu um debate que, para nós, vai ser bom. Ele facilita a criação de um modelo para a Rede”, disse.

Assista: Na Band, Aécio agradece apoio de Marina

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo