Desafeto de Marina, Carlos Siqueira substitui Roberto Amaral na presidência do PSB

Por Tercio Braga
A escolha de Siqueira ocorreu em meio a uma crise no partido por causa de divergências no apoio do PSB a Aécio Neves | Joel Rodrigues/Folhapress A escolha de Siqueira ocorreu em meio a uma crise no partido por causa de divergências no apoio do PSB a Aécio Neves | Joel Rodrigues/Folhapress

Carlos Siqueira é o novo presidente do PSB. Ele foi escolhido, nesta segunda-feira, durante reunião do Diretório Nacional do partido em Brasília. O ex-coordenador da campanha de Eduardo Campos à Presidência da República e secretário-geral do PSB teve o nome aprovado por aclamação, em uma eleição com chapa única. O governador eleito de Pernambuco, Paulo Câmara, será o primeiro-vice-presidente. O vice de Marina Silva, Beto Albuquerque, ficará com a segunda-vice-presidência.

A escolha de Siqueira ocorreu em meio a uma crise no partido por causa de divergências no apoio do PSB a Aécio Neves (PSDB), no segundo turno da eleição presidencial.

Na última quinta-feira (8), o partido anunciou apoio ao tucano. No sábado (11), a família do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos manifestou apoio a Aécio.

No mesmo dia, o presidente interino do PSB, Roberto Amaral, publicou em sua página oficial na internet uma carta criticando a posição tomada pela executiva nacional do partido. Amaral diz que, com a decisão, o PSB “jogou no lixo” o legado de seus fundadores.

Considerado o braço direito de Eduardo Campos, Carlos Siqueira deixou a campanha do PSB à Presidência da República após romper com Marina Silva assim que ela assumiu a chapa. Ele acusou Marina de querer mandar no partido e de não representar o legado de Campos, morto em um acidente aéreo.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo