Presidenciáveis começam a disputa por apoio nos Estados

Por Carolina Santos

selo-eleicao-metro-eleicoes-2014-150Até o dia 25, véspera do segundo turno da eleição para presidente, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) irão subir em palanques nos Estados avaliados como essenciais para garantir a vitória no dia 26.

Tucanos e petistas já avaliam em quais contarão com o apoio dos governadores já eleitos em primeiro turno e de qual lado ficarão naqueles onde a decisão também ficou para o segundo turno.

Dilma começa seu périplo pelo Norte e Nordeste, onde registrou votação expressiva, mas é possível ampliar ainda mais a vantagem sobre os tucanos. A candidata do PT iniciará a agenda por Piauí, Bahia, Alagoas e Sergipe.

Na região, os petistas buscarão apoio de nomes que disputam segundo turno contra tucanos. Um deles é Ricardo Coutinho (PSB), que busca a reeleição ante Cássio Cunha Lima (PSDB).

No Rio de Janeiro, quando chegar ao Sudeste, a presidente enfrentará um impasse. Ela terá que decidir entre Luiz Fernando Pezão (PMDB) e Marcelo Crivella (PRB).

Pezão e Crivella enviaram ontem recados para a coordenação de campanha de Dilma. Quem perder o apoio irá oferecer palanque para Aécio.

São Paulo ficará para o final da campanha. Antes da chegada da candidata ao Estado, o ex-presidente Lula irá traçar a estratégia para reduzir a vantagem do tucano. Amanhã, Lula realizará o primeiro encontro com aliados. Ontem, Dilma anunciou que o ministro Aloizio Mercadante assumirá sua coordenação de campanha.

Aécio fará trajeto oposto. Ele começou sua campanha ontem por São Paulo e seguirá para o Distrito Federal. Na sequência, vai para Minas Gerais, seu Estado, mas onde perdeu para Dilma no primeiro turno. Coordenadores de sua campanha avaliam que, mesmo com a vitória do petista Fernando Pimentel, é possível virar o quadro.

No Rio, o tucanato procurará o PMDB. O plano é ressuscitar a aliança batizada de “Aezão”, debelada após intervenção do PT. O PMDB também será alvo no Rio Grande do Sul. O PSDB buscará o apoio de José Ivo Sartori, que  disputa o segundo turno contra Tarso Genro (PT). A meta é garantir a vitória no eixo Sul/Sudeste e tirar o máximo de votos do PT no Norte/Nordeste. 

arte eleições presidenciaveis governo

debate-segundo-turno Clique na imagem para enviar o e mail

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo