Análise Band Eleições: não é possível definir em quem votará o eleitor de Marina

Por Nadia

Com a definição do segundo turno entre Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), a grande dúvida agora é o que acontecerá com o destino dos votos de Marina Silva (PSB), que teve mais de 22 milhões de eleitores. O programa Band Eleições recebeu especialistas para analisar o atual quadro político brasileiro.

Para o diretor do instituto Datafolha, Mauro Paulino, não é possível definir o nível de influência que Marina terá em seu eleitorado. “A taxa de eleitores de Marina que votará em Aécio pode variar. Vai depender da dinâmica neste segundo turno. Agora, mudou um pouco o cenário, o comportamento está diferente”, analisa.

Para a colunista da BandNews FM, Dora Kramer, as estratégias de campanha podem mudar. “A única certeza que temos é que será uma disputa complicada. Tudo pode mudar, vai depender da pesquisa [Datafolha] que será divulgada nesta quinta-feira. E também da definição de um apoio, ou não, de Marina”.

Para o jornalista Fernando Rodrigues, a eleição entre PT e PSDB será tumultuada. “Será uma carnificina. Ninguém vai poupar ninguém, como aconteceu com a Marina, que teve uma imagem construída e desconstruída”.

Poder de influência

Paulino afirma que Marina poderá não ter o mesmo poder de influência agora do que teve na eleição de 2010 [ficou neutra] por causa da desconstrução de sua imagem pela campanha dos rivais. “É outra Marina. Ela teve mais votos dos jovens do que dos idosos. Temos de saber como eles se comportarão.”

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo