Tempo de espera por transplante de órgãos diminui

Por Carolina Santos

No Brasil, 37,7 mil pessoas ainda  aguardam na fila um transplante de órgão. Mas a lista de espera está andando mais rápido. Nos últimos cinco anos, 27 mil brasileiros conseguiram um doador, segundo o Ministério da Saúde. “95% das cirurgias  são feitas no SUS (Sistema Único de Saúde)”, afirmou o ministro da Saúde, Arthur Chioro. Acre, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo zeraram a fila de espera.

A redução está associada ao número de doadores, que cresceu substancialmente entre 2008 e o ano passado: de 1,3 mil para 2,5 mil – alta de 89,7%.

A disposição das famílias em doar os órgãos de parentes com morte encefálica chega a 56% no país, a frente de médias de países como Argentina (52,8%), Uruguai (52,6%) e Chile (51,1%). Além disso, uma parceria com as companhias áreas tem facilitado o trabalho. Só no ano passado, 6 mil voos fizeram transporte de órgãos.

Campanha

No próximo sábado, o governo lançará uma campanha para estimular a prática no país. Por meio de um aplicativo associado ao Facebook, a pessoa pode se declarar doador de órgãos. A informação será cadastrado no Sistema Nacional de Transplantes. Hoje, 37,7 mil pessoas já se declaram doadores nas redes sociais. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo