Para Marina Silva, Dilma Rousseff se "aventurou na política econômica"

Por Carolina Santos
Marina defendeu a autonomia do Banco Central | Gustavo Serebrenick/Folhapress Marina defendeu a autonomia do Banco Central | Gustavo Serebrenick/Folhapress

A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, afirmou nesta quinta-feira que a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff se “aventurou” na condução da política econômica, e que os maus resultados obtidos na economia brasileira são responsabilidade da petista.

Segundo Marina, a política econômica nacional obteve êxitos do governo de Itamar Franco até o de Luiz Inácio Lula da Silva, mas teria sido prejudicada pela petista.

Para resolver os problemas da economia brasileira, a candidata prometeu fidelidade ao chamado “tripé econômico” e também disse que criará um conselho de responsabilidade fiscal, que verificará as contas do governo, numa tentativa de dar mais transparência aos gastos públicos. Atualmente, o Tribunal de Contas da União (TCU) tem a responsabilidade de fiscalizar os gastos do governo.

Marina criticou os controles e regulação dos preços de alguns itens, como a energia e a gasolina, e afirmou que manterá a meta de inflação em 4,5%.

 

Sensibilidade

Questionada sobre seu choro após as críticas feitas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Marina afirmou que sua emoção não é um sinal de fragilidade. Segundo a socialista, o choro se justifica pelo fato de ela ser uma pessoa “sensível”.

“Ter enfrentado cinco malárias, três hepatites, uma leishmaniose, perder a mãe aos 14 anos, ter sido alfabetizada aos 16 anos, ter passado o que eu passei, vir me dizer que isso é fragilidade e não me pedir para não ter emoções, sinceramente… Já vi tantos líderes chorando e não é por isso que são mais fracos ou menos fracos”, afirmou a candidata ao Bom dia Brasil.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo