CPI Mista da Petrobras discute denúncias de Paulo Roberto Costa

Por Carolina Santos
 Paulo Roberto Costa está preso na sede da PF em Curitiba | Antonio Cruz/Agência Cruz Paulo Roberto Costa está preso na sede da PF em Curitiba | Antonio Cruz/Agência Cruz

O presidente da CPI Mista da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), reúne-se nesta quarta-feira com lideranças partidárias para discutir as ações a serem tomadas pela comissão parlamentar de inquérito quanto aos depoimentos dados pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa ao Ministério Público e à Polícia Federal, como parte do acordo de delação premiada.

“Entendemos que as denúncias são sérias. Precisam ter a chancela da Justiça no que diz respeito à conferência desses dados que estão sendo motivo de especulação na imprensa. E temos que tomar as providências necessárias e cabíveis diante da gravidade dos fatos”, disse Vital, em entrevista à Rádio Senado.

Vital do Rêgo pediu na segunda-feira à Justiça Federal do Paraná o acesso a todas as informações referentes aos depoimentos de Costa. Além disso, há um requerimento apresentado pelo deputado federal Rubens Bueno (PPS-PR), que solicita providências para que esse material seja entregue à CPI Mista.

Paulo Roberto Costa, preso em março na Operação Lava Jato, depôs em junho à CPI exclusiva do Senado. À época, porém, ele afirmou que não tinha envolvimento em qualquer fraude em contratos da Petrobras e alegou desconhecer as atividades de Alberto Youssef como doleiro. O ex-executivo voltaria a ser preso no dia seguinte ao depoimento.

Nestor Cerveró

Além da reunião para definir ações em resposta aos depoimentos de Paulo Roberto Costa, a CPI Mista marcou para a tarde, às 14h30, o depoimento do ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró. Ele deverá falar novamente da compra da Refinaria de Pasadena, no Texas (EUA), por ter sido autor do resumo-executivo que embasou a decisão a favor do negócio, que custou US$ 1,24 bilhão aos cofres da Petrobras.

O ex-diretor da Petrobras também deverá esclarecer denúncia de que teria repassado imóveis a familiares logo após o caso Pasadena ter surgido na imprensa. Deputados e senadores que integram a CPI Mista da Petrobras ainda vão pedir explicações a Nestor Cerveró sobre um apartamento onde morou durante cinco anos em Ipanema, no Rio de Janeiro. O imóvel é cotado em R$ 75 milhões e, segundo a revista Veja, pertence a uma empresa offshore — empresa aberta fora do país de origem dos proprietários, em geral para fugir da tributação — com sede no Uruguai.

Loading...
Revisa el siguiente artículo