Ataques entre candidatos à presidência se intensificam

Por fabiosaraiva

selo-eleicao-metro-eleicoes-2014-150Os três principais candidatos à Presidência da República ampliaram nesta quinta-feira ofensivas contra os adversários. Faltando exatos 30 dias para terem o futuro definido nas urnas, Dilma Rousseff, do PT, Marina Silva, do PSB, e Aécio Neves, do PSDB, têm usado as campanhas para agir numa postura de ação e reação refletindo as pesquisas eleitorais.

Dilma atacou o programa de governo de Marina acusando-a de ameaçar a educação. A candidata do PSB diz que o PT age da lógica do ‘poder pelo poder’. Aécio acusa as adversárias de ‘silêncio obsequioso’ sobre o mensalão.

 

Sacrifício
O programa eleitoral da candidata à reeleição tratou sobre a lei que garante 75% dos recursos do pré-sal destinados à educação e disparou contra a Marina. “É assim que faz uma presidenta que entende e defende o Brasil, muito diferente de certa candidata que não quer dar prioridade à exploração do pré-sal. Isso seria sacrificar o futuro da educação e o futuro do Brasil”, afirmou a apresentadora.

Além disso, o PT pediu ao MPE (Ministério Público Eleitoral) que investigue o patrimônio da candidata do PSB, que recebeu R$ 1,6 milhão com palestras nos últimos três anos.

Desespero
Marina acusou o PT de agir por desespero e criar um factóide sobre rendimentos que foram declarados à Receita Federal. “Minha média salarial é de R$ 22 mil, R$ 24 mil, é só verificar”, propôs. A candidata disse que pretende fazer uma campanha limpa, mas não afastou a possibilidade de levar as acusações para a Justiça Eleitoral.

“Eu lamento profundamente que a presidente Dilma se submeta a esse tipo de lógica do poder pelo poder, de que vale tudo para ganhar uma eleição”, disse, em entrevista ao “Grupo RBS”.

Mensalão
Precisando se recuperar nas pesquisas, Aécio Neves também centrou fogo contra Marina Silva. Em Belo Horizonte, voltou a falar que a política não é para amadores e questionou a origem da candidata. “A verdade é que começam a aparecer algumas semelhanças entre a candidatura oficial e a candidatura oriunda do PT que se apresenta agora no campo oposicionista. Marina traz boas intenções, mas vem do mesmo núcleo do PT e, lá atrás, se posicionou contra tudo isso que agora defende”, atacou.

O tucano também disse estranhar o silêncio das adversários sobre o escândalo do mensalão.  “As nossas principais adversárias nos brindaram com o obsequioso silêncio do momento em que as mais graves denúncias surgiram sobre os malfeitos do governo federal”, criticou.

candidatos-

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo