Marina diz que Dilma não sabe reconhecer erros

Por lyafichmann
Dilma também elogiou José Sarney, responsável pela concepção da Norte-Sul | Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress Petista questiona de onde a candidata do PSB irá tirar as verbas para realizar os compromissos de seu plano de governo | Nelson Antoine/Fotoarena/Folhapress

A candidata do PSB à presidência, Marina Silva, afirmou nesta segunda-feira que a presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, não tem capacidade para reconhecer os erros em seu governo. Marina participou do segundo debate presidencial, promovido por Folha, UOL, SBT e Jovem Pan. O primeiro encontro ocorreu na última terça-feira, na Band. 

“É importante verificar que a Dilma não consegue fazer uma coisa essencial para quem pretende um segundo mandato, que é reconhecer os erros. Se ela não reconhece, não tem como reparar”, afirma Marina. “Ela disse que iria controlar a inflação, manter o País em crescimento e baixar os juros. Hoje temos inflação alta, baixo crescimento e uma situação de juros alto. A população paga um preço alto pela péssima qualidade dos serviços.”

Leia também
• Dilma diz que Marina tem desprezo pelo pré-sal

Dilma se defendeu e disse que sabe reconhecer os erros. “Eu acho sim Marina, que é preciso reconhecer os erros e limitações. Um diagnóstico errado leva a um caminho errado, propor autonomia do Banco Central [proposta de Marina], isso só levará à maior dificuldade de regulamentação do sistema financeiro.”

A petista ainda disse que a crise econômica é fruto dos fatores internacionais. “A queda da atividade econômica é momentânea… a seca, menos dias úteis e o prolongamento da crise tem um grande impacto. Não estamos em recessão. O mercado consumidor aumenta pelo emprego e o aumento do salário”.

Dilma muda postura e ataca Marina durante debate

A presidente Dilma Rousseff (PT) adotou uma postura diferente e atacou Marina Silva (PSB) no segundo debate entre os candidatos promovido por Folha, UOL, SBT e Jovem Pan, na tarde desta segunda-feira. O primeiro debate entre os candidatos ocorreu na Band na última terça.

Dilma adotou pela primeira vez um tom mais agressivo na campanha. Logo de início, a petista questionou Marina como ela anteciparia 10% do PIB para a educação. “Você diz que irá antecipar R$ 70 bilhões para a educação, mais 10% da receita bruta para a saúde, R$ 40 bilhões. Passe livre estudantil, R$ 14 bilhões. Mais dinheiro para os municípios, R$ 9 bilhões. Todas as promessas dão R$ 140 bilhões. De onde a senhora vai arranjar dinheiro?”, questionou Dilma.

Marina respondeu à petista. “Não são promessas, são compromissos. E esses compromissos são assumidos a partir dos esforços que iremos fazer. Temos um desperdício muito grande dos recursos públicos, inclusive nos projetos que estão desencontrados. Quando se trata de subsidiar o juro dos bancos, não ficam preocupados em saber de onde veio o dinheiro, mas para a educação, aí vem essa pergunta”.

Dilma disse que a resposta de Marina foi ineficiente. “Candidata, quero dizer que você falou, mas não respondeu a pergunta. Quem governa tem de responder como vai fazer, não basta se comprometer. O montante prometido pela senhora equivale a quase tudo que se gasta em saúde e educação”.

Em sua tréplica, Marina atacou Dilma. “O pensamento da ideia cartesiana de governo só consegue olhar para uma alternativa, nesse momento, o mundo caminha para ter várias alternativas”.

Marina aparece empatada em primeiro lugar com Dilma na última pesquisa Datafolha.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo