Na TV, candidatos adotam mesma fórmula para atrair eleitor

Por lyafichmann
presidente Dilma apareceu cozinhando, Aécio destacou desejo de mudança no país e PSB destacou momentos de Eduardo Campos | Reprodução TV

Marqueteiros do PT e do PSDB seguiram fórmula parecida nos programas eleitorais que foram veiculados nesta terça-feira, primeiro dia da propaganda eleitoral. Eles deram destaque para imagens de diferentes cantos do país e apostaram na simulação de um diálogo entre seus candidatos e o eleitor.

Os candidatos evitaram citar nominalmente o opositor. Aécio Neves não fez ataques diretos a presidente Dilma ou ao ex-presidente Lula. Ele centrou o discurso em erros do atual governo na condução da política econômica, que resultaram no aumento da inflação e na desaceleração da produção e da geração de empregos.

O tucano afirmou que o país deseja uma mudança para evitar um retrocesso nas conquistas obtidas após a estabilização econômica.

Aécio fez uma homenagem ao ex-governador Eduardo Campos (PSB), vítima de um acidente de avião. Ele afirmou que o amigo fará falta à política nacional.

Voto de confiança 

selo interno Eleições-2 Clique e saiba como mandar sua pergunta

Com maior tempo de televisão, o PT mostrou Dilma Rousseff menos gerente e mais mulher. Foi ressaltada a saudade que a presidente tem da filha e imagens que a aproximam da vida da maioria das brasileiras: trabalhando e cozinhando.

Dilma fez um balanço das conquistas de seu governo e do ex-presidente Lula; destacou os avanços obtidos mesmo com a crise econômica nos EUA e na Europa. “Enquanto eles cortam postos de trabalho, o Brasil segue gerando empregos.”

O ex-presidente Lula apareceu duas vezes. Ele pediu um voto de confiança em sua sucessora ao destacar que seu segundo mandato foi melhor que o primeiro. Em seu pedido, Lula frisou que, reeleita, a presidente terá mais segurança e apoio para governar.

No final do programa, o ex-presidente voltou para falar de Campos. Lula disse que sentia um “afeto de pai” pelo ex-governador e que a luta do socialista será a sua luta.

O PSB dedicou todo seu tempo no horário eleitoral para homenagear Campos. O programa começou com depoimentos de Eduardo.

Também foram destacados trechos de discursos. Em um deles, ele afirma que, ao lado de Marina Silva – que deve ser confirmada nesta quarta como cabeça de chapa, mudaria o Brasil.

Presidente do PPS dá apoio equivocado a Aécio Neves

Na propaganda eleitoral gratuita do início da tarde de ontem, o presidente nacional do PPS, Roberto Freire, candidato a deputado federal pela coligação encabeçada pelo PSDB, aparece dando apoio aos candidatos José Serra (Senado) e Aécio Neves (PSDB). Seu partido, no entanto, está ligado ao PSB, que deve ter Marina Silva candidata, no cenário nacional.

Freire se disse constrangido após a divulgação. O PSDB afirmou que houve um equívoco da produtora responsável e que o erro ocorreu “alheio” à vontade da sigla no momento da montagem da propaganda.

O presidente nacional do PPS afirmou que vai estar engajado na campanha de Marina Silva e que ela tem grandes chances de vencer Dilma.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo