Geraldo Alckmin nega ilegalidade em página no Facebook

Por Nadia
Candidatos do PSDB Geraldo Alckmin (Estado), José Serra (Senado) e Aécio Neves (presidência) | Nilton Cardin/Folhapress Candidatos do PSDB Geraldo Alckmin (Estado), José Serra (Senado) e Aécio Neves (presidência) | Nilton Cardin/Folhapress

Um dia depois de o Facebook afirmar que as propagandas na página de Geraldo Alckmin na rede social foram pagas pelo tesoureiro do PSDB, o governador negou neste domingo que haja qualquer ilegalidade no pagamento.

A legalidade da ação foi questionada no TRE (Tribunal Regional Eleitorial) pela coligação do candidato Paulo Skaf (PMDB). Segundo Skaf, Alckmin usou links e posts patrocinados para inflar o número de seguidores, o que é proibido pela lei eleitoral. A rede social afirmou que os pagamentos, em um total de US$ 7.604,88, foram registrados no cartão de crédito pessoal do tesoureiro do diretório estadual do PSDB, Felipe Sigollo. Na sexta-feira, o TRE chegou a estabelecer  multa diária de R$ 100 mil, caso o Facebook não identificasse os responsáveis pelos anúncios pagos do governador, candidato à reeleição.

Em São José dos Campos, onde esteve ontem ao lado do candidato tucano à presidência, Aécio Neves, e de José Serra, que disputa uma vaga no Senado, Alckmin  afirmou que a ação foi feita no período pré-eleitoral.

“Não tinha conhecimento da publicidade. Se tivesse, não teria autorizado, até porque acho totalmente desnecessário”, afirmou.  Responsáveis pela campanha de Alckmin afirmaram que o Facebook não exige autorização do titular da conta para que sejam comprados links patrocinados.

Após a divulgação do nome do tesoureiro, a coligação de Skaf afirmou que vai incluir o nome do tesoureiro na ação para que ele se manifeste formalmente. Além do cargo na sigla, Sigollo é diretor da estatal estadual CPOS (Companhia Paulista de Obras e Serviços) e é secretário-executivo do Conselho de Patrimônio Imobiliário do Estado.

Debates na Band

Como já é tradicional, os primeiros debates da campanha eleitoral 2014 acontecerão na Band. No dia 14 de agosto, serão recebidos os candidatos ao governo do Estado. No dia 21, é a vez dos candidatos à Presidência da República. Neste ano, os debates na Band serão mais flexíveis, favorecendo o confronto direto entre os candidatos.  

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo