Aécio Neves quer criar o Ministério da Infraestrutura

Por Carolina Santos
Aécio falou ao portal G1 | Ueslei Marcelino/Reuters Aécio falou ao portal G1 | Ueslei Marcelino/Reuters

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, afirmou nesta segunda-feira que, se eleito, vai criar o Ministério da Infraestrutura e acabará com o Ministério da Pesca. O político participou de sabatina ao portal G1 nesta segunda-feira.

“Não quero entrar em detalhes. Mas o Ministério da Infraestrutura traria investimentos em rodovias, ferrovias, energia”.

O ex-senador afirmou que pretende reduzir em quase metade o número de ministérios. Para o tucano, “22 ou 23 ministérios é o adequado”.

Ainda sobre a criação do Ministério da Infraestrutura, Aécio disse que “é preciso planejamento e interlocução com o setor privado”.

Aécio defendeu o fim da reeleição, com fixação de mandatos de cinco anos. Ele também reafirmou a intenção de simplificar o sistema tributário “porque é preciso declarar guerra ao custo Brasil”.

Debates

O primeiro debate presidencial ocorrerá aqui na Band, no dia 21 de agosto, seguindo uma tradição histórica do Grupo Bandeirantes. No dia 14 de agosto, os candidatos ao governo também se encontrarão na Band para o primeiro debate.

Aécio defende estímulo ao etanol

Aécio Neves voltou a dizer que uma política de estímulo ao etanol é uma das prioridades de sua plataforma. Para o candidato, o setor enfrenta “uma competitividade desleal com a Petrobras” e vem sendo penalizado pelos tributos e pela falta de infraestrutura adequada. O tucano participou do 13º Congresso Brasileiro do Agronegócio, promovido pela Associação Brasileira do Agronegócio.

Na avaliação de Aécio Neves, o cenário atual levou os produtores de etanol à uma situação de vulnerabilidade econômica, ao citar que foram fechadas mais de 40 usinas e que dez estão em processo de liquidação judicial. Para tentar resgatar o setor, o candidato disse que pretende fazer “um choque de infraestrutura”, com o intuito de promover uma simplificação do sistema tributário e dar maior previsibilidade aos investidores.

Questionado sobre obstáculos para a ampliação das áreas plantadas por causa da necessidade de aval de órgãos ambientais e demarcação de terras indígenas, Aécio Neves disse que é necessário cumprir a legislação, mas que considera possível aumentar a produtividade. “Desde a década de 90, enquanto a área plantada aumentou 90%, a produção cresceu 220%”, apontou.

O candidato disse que até próxima quarta-feira (6) deve decidir sobre o licenciamento do cargo de senador. E informou que vai devolver o dinheiro recebido pelo Senado relativo aos dias não trabalhados por causa da campanha eleitoral. “Eu caminho para me licenciar”, disse.

Sobre a reportagem da revista Veja de que ex-dirigentes da Petrobras tiveram acesso antecipado às perguntas que seriam feitas à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, no Senado, o tucano informou que a questão está sendo tratada por seu partido, em Brasília. “Se comprovada a denúncia, isso é, absolutamente, grave”, avaliou ele. A revista informa ter tido acesso à uma gravação que mostra que as perguntas foram combinadas. No final de semana, a oposição disse que pretende apresentar pedidos de investigação da denúncia.

Em Brasília, ao ser questionado nesta segunda (4) sobre o mesmo tema, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que “a denúncia não necessariamente é um escândalo, tem que ser verificada”.

Quer saber mais sobre os candidatos a presidente?
Clique nos nomes e veja um minicurrículo de cada um dos 11 políticos que disputam o cargo.

aecio neves dilma rousseff eduardo campos eduardo jorge
eymael levy fidelix luciana genro mauro iasi
pastor everaldo rui pimenta ze maria band eleicoes
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo