Oposição insiste em CPI para investigar Petrobras

Por Caio Cuccino Teixeira

A oposição insiste em uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os negócios entre a Petrobras e a estatal no Texas, nos Estados Unidos, e em Pernambuco. Nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff mandou ministros e a presidente da Petrobras irem ao Congresso dar explicações.

Leia também:
• Governo está à disposição para falar sobre Petrobras, diz ministra
• Graça e Lobão são convidados para explicar compra de refinaria

O Ministério Público vai decidir se investiga a suposta responsabilidade da presidente Dilma em negócios da Petrobras no exterior. O pedido foi feito por um grupo de oito senadores, inclusive governistas.

No mesmo instante, no Senado, duas comissões aprovavam convites para que Graça Foster, presidente da companhia, e o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, se expliquem ao Congresso.

Mas estava combinado com o Planalto. A presidente Dilma determinou que todos os ministros e a presidente da Petrobras estejam à disposição e compareçam para dar explicações o mais rápido possível. A ideia é tirar da oposição o discurso de que é preciso uma CPI para investigar as denúncias.

A última suspeita foi levantada pela Polícia Federal. O ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que está preso em Curitiba, teria recebido do doleiro Alberto Yousseff, também preso, R$ 8 milhões em propinas relacionadas às obras na refinaria de Abreu e Lima, da Petrobras, em Pernambuco.

Para a oposição, que se reuniu nesta terça-feira, é mais uma denúncia a ser apurada. A compra por US$ 1,2 bilhão de uma refinaria nos Estados Unidos, adquirida inicialmente pela sócia belga por US$ 42 milhões, no entanto, encabeça a lista.

A oposição diz que tem 110 das 171 assinaturas necessárias para criar a comissão na Câmara. No Senado, o governo aposta que dificilmente haverá traições da base. O PMDB, maior partido do Congresso, é o fiel da balança. Ainda assim, 28 dos 76 deputados peemedebistas assinaram o pedido de CPI. Quem não recuar, será tratado como oposicionista.

Loading...
Revisa el siguiente artículo