Suíça comprova existência de conta secreta de conselheiro do TCE

Por Tercio Braga
Há suspeita de atuação em obras nas áreas de transportes, energia e abastecimento entre 1998 a 2001 | Divulgação Há suspeita de atuação em obras nas áreas de transportes, energia e abastecimento entre 1998 a 2001 | Divulgação

O MPF (Ministério Público Federal) recebeu do governo suíço cópias do cartão de abertura de uma conta bancária secreta em Genebra, capital daquele país, pertencente ao conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado) Robson Marinho, que também foi chefe da Casa Civil do governo Mário Covas (PSDB).

De acordo com os dados enviados aos procuradores, Marinho tem US$ 1,1 milhão na conta, segundo reportagem do jornal “O Estado de S. Paulo”.

O MPF suspeita que o dinheiro tem origem em propina paga pela francesa Alstom,  investigada em um esquema de corrupção envolvendo empresas de energia do Estado de São Paulo, entre os anos de 1998 e 2002.

Para a Procuradoria, o documento bancário é uma das mais importantes provas contra o conselheiro do TCE, que sempre negou possuir contas no exterior.

Marinho é  alvo de uma investigação criminal do STJ (Superior Tribunal de Justiça). Ele é suspeito de favorecer a Alstom no julgamento da legalidade de contratos  das empresas de transmissão de energia de São Paulo.

Em fevereiro, a Justiça Federal aceitou denúncia contra 11 pessoas suspeitas de envolvimento no esquema com a Alstom.

Alckmin

Nesta segunda, o governador de Geraldo Alckmin (PSDB) defendeu uma “investigação rigorosa” sobre a suposta atuação de Marinho no esquema de cartel. 

Loading...
Revisa el siguiente artículo