Justiça Federal bloqueia bens de cinco réus do Caso Alstom

Por Tercio Braga
A Alston é alvo de investigações de policias sobre formação de cartel em licitações | Divulgação A Alston é alvo de investigações de policias sobre formação de cartel em licitações | Divulgação

Acolhendo um pedido do Ministério Público Federal, a Justiça congelou os bens de cinco dos 11 acusados de integrar um esquema de pagamento de propinas pela empresa francesa Alstom para servidores públicos do setor elétrico de São Paulo, entre os anos de 1998 e 2002 – época em que o estado era governado por Mário Covas e Geraldo Alckmin.

Leia também
• Documentos detalham pagamentos do caso Alston
• Alckmin nega ligação do governo com corrupção no caso Alston

A decisão foi proferida pelo juiz federal Marcelo Costenaro Cavali, que bloqueou ao todo R$ 32,4 milhões. Porém, várias contas bancárias apresentavam saldo insuficiente ou nulo, o que impossibilitou o cumprimento integral da decisão. Por enquanto, foram bloqueados apenas R$ 9,8 milhões.

Na última terça-feira, a Justiça Federal recebeu a denúncia oferecida pelo MPF/SP e definiu a abertura de processo contra 11 acusados de envolvimento no caso. São réus Jonio Foigel, Thierry Charles Lopez, Daniel Maurice Elie Huet, Cláudio Luiz Petrechen Mendes, Celso Sebastião Cerchiari, José Sidnei Colombo Martini, Jorge Fagali Neto, José Geraldo Villas Boas, Sabino Indelicato, Jean Pierre Charles Antoine Courtadon e Romeu Pinto Junior.


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo