Câmara votará primeiras cassações com voto aberto

Por talita
O ex-presidente da Câmara deverá começar a cumprir pena de 6 anos e 4 meses de prisão | José Cruz/ABr João Paulo Cunha é condenado a 6 anos e 4 meses de prisão no processo do mensalão | José Cruz/ABr

Com o início do novo ano legislativo, a Câmara se vê pressionada a colocar em votação a cassação de mandato dos deputados Natan Donadon (sem partido-RO) e João Paulo Cunha (PT-SP). A diferença é que pela primeira vez os processos de perda de mandato serão com o voto aberto.

Personagem-chave para que a tramitação da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do fim do voto secreto fosse acelerada, Natan Donadon deverá ser julgado pelos colegas já em fevereiro.

Condenado a 13 anos e 4 meses de prisão por desvio de recursos públicos, o parlamentar cumpre pena no presídio da Papuda desde junho e, mesmo assim, foi absolvido em agosto do ano passado, em votação secreta. Um novo processo disciplinar foi aberto e a cassação agora é iminente.

João Paulo Cunha

Condenado a 6 anos e 4 meses de prisão no processo do mensalão, João Paulo Cunha se recusa a renunciar como fizeram os demais condenados, apesar da pressão do PT.

A prisão será decretada nos próximos dias pelo STF (Supremo Tribunal Federal) e  motivará a abertura do processo de cassação. A conclusão deve ocorrer ainda no primeiro semestre


Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo