Justiça suíça bloqueia sete contas abastecidas pelo mensalão do DEM

Por Tercio Braga
Ex-governador José Roberto Arruda | Alan Marques/Folhapress Ex-governador José Roberto Arruda | Alan Marques/Folhapress

Sete contas bancárias abertas nas cidades de Genegra e Zurique foram bloqueadas pela Justiça da Suíça por suspeita de movimentar recursos obtidos no esquema de corrupção no Distrito Federal que ficou conhecido como Mensalão do DEM. O escândalo, descoberto no fim de 2009, provocou a renúncia do ex-governador do DF José Roberto Arruda.

Em setembro do ano passado, a Procuradoria Geral da República já apontava indícios de remessas de recursos para o exterior. A conclusão da Justiça suíça é resultado da remessa de documentos feita pelo Ministério Público no Brasil.

Pelo menos duas contas estariam em nome de um empresário identificado apenas com a letra H. Caso a suspeita seja comprovada, o governo brasileiro poderá pedir a repatriação dos recursos.

O mensalão do DEM teria movimentado R$ 110 milhões, a partir de contratos fraudulentos com empresas de informática. A denúncia cita o envolvimento de 37 pessoas. Além de Arruda, o ex-vice governador Paulo Octávio e o delator do esquema, Durval Barbosa. 

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo