José Dirceu abriu empresa de consultoria no Panamá

Por fabiosaraiva
Dirceu teve pena mantida pelo STF | Wilson Dias/ABr Dirceu abriu empresa no Panamá em 2008 | Wilson Dias/ABr

O ex-ministro José Dirceu abriu uma filial do escritório de consultoria que mantém em São Paulo na Cidade do Panamá, em 2008. O registro foi feito no escritório da Morgan & Morgan, no mesmo endereço em que funciona a Truston International, a empresa operadora do hotel Saint Peter, que no mês passado ofereceu ao ex-ministro o cargo de gerente administrativo. O caso foi revelado em reportagem do jornal “Estado de S. Paulo”.

No Panamá, a lei permite que várias empresas possam ser abertas no mesmo endereço.

A assessoria de José Dirceu informou que a filial da JD Assessoria e Consultoria foi aberta com um capital social de R$ 25 mil, mas não conseguiu clientes no Panamá e jamais funcionou.

A empresa passou a ser controlada pelo irmão do ex-ministro, Luiz Eduardo, que assumiu a função depois que Dirceu foi preso.

O líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), defendeu, em nota, investigação oficial sobre a consultoria do ex-ministro. “As novas informações divulgadas sobre este condenado do mensalão deixam latente que ele operou de todas as formas e que ainda pode estar operando para sustentar aquele que é o maior escândalo desta República”, disse Bueno.

 

Registro ameaçado

Caso ganhe autorização da Justiça para assumir um emprego no escritório de advocacia José Gerardo Grossi, no Distrito Federal, José Dirceu será alvo de um processo para perda de registro profissional na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Um grupo de advogados prepara um processo para cassar a permissão do ex-ministro de advogar.

O argumento se baseia no Código de Ética do Advogado que proíbe a prática da profissão por pessoas consideradas ‘moralmente inidôneas’.

O documento será encaminhado ao presidente da OAB nacional, Marcus Vinícius Coêlho. Será aberto um processo administrativo e um prazo para a apresentação de defesa. As punições vão desde censura até a exclusão do registro.

Em 2005, quando teve o mandato cassado na Câmara, Dirceu também enfrentou o mesmo processo, mas acabou absolvido porque não havia condenação no STF.

A nova proposta de emprego para Dirceu, porém, não envolve diretamente o exercício da advocacia. Segundo o documento encaminhado pela defesa, o petista trabalhará na biblioteca do escritório do advogado José Gerardo Grossi e poderá, eventualmente, trabalhar na consulta de jurisprudência de casos e em atividades administrativas. O expediente será das 8h  às 18h, de segunda a sexta-feira.

 

Vida no presídio

Em bilhete encaminhado para uma amiga e publicado sábado no seu blog mantido por assessores, Dirceu falou da vida no presídio da Papuda, onde está preso desde 15 de novembro.

O ex-ministro relata que, para passar o tempo, tem  se dedicado à leitura e aos estudos. “Fazendo muita ginástica e planos. O estudo e o trabalho contam como remição de pena. O ambiente entre nós é bom e apesar da ilegalidade da prisão e do regime fechado, as condições carcerárias são razoáveis. Temos biblioteca e banho de sol, como todos os internos, inclusive acesso a uma cantina”, relata.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo