Dilma comparece ao Fórum Mundial de Direitos Humanos

Por Carolina Santos
Dilma deve anunciar a assinatura do decreto que institui o Sistema Nacional de Enfrentamento à Tortura | Andrew Burton/Getty Images Dilma deve anunciar a assinatura do decreto que institui o Sistema Nacional de Enfrentamento à Tortura | Andrew Burton/Getty Images

A presidente Dilma Rousseff irá participar na tarde desta quinta-feira do Fórum Mundial de Direitos Humanos (FMDH) para a entrega da 19ª edição do Prêmio Direitos Humanos.

 

Serão entregues prêmios em 23 categorias e duas menções honrosas. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também é esperado no fórum para falar sobre direitos humanos e combate à fome.

 

O Prêmio Direitos Humanos é o mais alto reconhecimento do governo brasileiro a ações que envolvam atividades relacionadas à questão dos direitos humanos. Na cerimônia desta quinta-feira, Dilma também deverá anunciar a assinatura do decreto que institui o Sistema Nacional de Enfrentamento à Tortura.

 

Entre os contemplados pelo prêmio em 2013 estão a coordenadora da Associação de Estudos, Pesquisas e Publicações da Associação de Parentes e Amigos de Vítimas de Violência (Apavv) no Ceará, Maria da Penha Maia Fernandes, na categoria Igualdade de Gênero; o sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, em Segurança Pública e Direitos Humanos; o deputado Nilmário Miranda (PT-MG), em Enfrentamento à Tortura; a ex-militante e presidenta da Liga Feminina da Guanabara, Zilda Paula Pereira, em Direito à Memória e à Verdade; a Casa da Juventude Padre Burnier (Caju), em Centros de Referência em Direitos Humanos; a associação Rede Rua, em Garantia dos Direitos da População em Situação de Rua, entre outros vencedores.

 

As menções honrosas deste ano irão para o grupo Habeas Corpus, pela garantia dos direitos humanos e constitucionais de manifestantes durante os protestos que ocorreram recentemente no país; e para a coordenadora do projeto Olhares Cruzados, Dirce Carrion, pela garantia de direitos e do empoderamento de crianças e adolescentes em comunidades indígenas e quilombolas.

 

O FMDH começou anteontem em Brasília e irá até amanhã, quando ainda serão debatidos temas como a transversalidade dos direitos humanos, o enfrentamento da violência e o desenvolvimento da cultura em direitos humanos. Nesses dias, o evento promoveu conferências, debates temáticos e atividades com a presença de autoridades, intelectuais e profissionais reconhecidos internacionalmente. O encontro teve mais de 10 mil inscrições.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo