PAC 2 conclui 69% das obras, diz governo

Por Carolina Santos
“Entramos numa fase de cruzeiro e estamos exatamente no mesmo ponto de execução do que seria esperado” Mirian Belchior | José Cruz/ ABr “Entramos numa fase de cruzeiro e estamos exatamente no mesmo ponto de execução do que seria esperado” Mirian Belchior | José Cruz/ ABr

Até o fim de agosto, 69% das ações e obras do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento) foram concluídas, segundo o 8º balanço do PAC divulgado ontem pelo governo. Do início do programa, em 2011, até agora, o investimento somou R$ 667 bilhões, o equivalente a 67,2% do previsto até o fim do próximo ano.

Para zerar todos os empreendimentos até o fim de 2014, o governo precisará concluir 31% dos planejados nos setores de transporte, geração de energia, petróleo, indústria naval, habitação, energia elétrica, abastecimento de água e saneamento básico, além de projetos de saúde e educação. “Entramos numa fase de cruzeiro e estamos exatamente no mesmo ponto de execução do que seria esperado”, afirmou a ministra do Planejamento, Miriam Belchior. Atualmente, 9% dos empreendimentos estão em estado de atenção e 4 em estágio classificado como preocupante.

 

Habitação lidera

Os gastos do governo com infraestrutura e logística e nas áreas social e de desenvolvimento urbano somam este ano R$ 39,9 bilhões. Deste total, R$ 22,9 bi são restos a pagar dos anos anteriores.

Mais uma vez, os recursos destinados à área de habitação inflaram o resultado. Do total de investimento do PAC 2, R$ 217,4 bilhões, ou 33,2% do total, são da área de financiamento habitacional. Somente entre maio e agosto, dos R$ 107 bilhões gastos, R$ 39 bilhões se referem ao pagamento feito pelas famílias, e não de dinheiro público investido.

 

Grandes obras

O PAC 2 será concluído sem nem sequer ter implantado canteiros em obras apontadas como destaque. O principal exemplo é o Trem-Bala, previsto para ligar São Paulo e Campinas ao Rio de Janeiro. O cronograma inicial previa a conclusão dos primeiros trechos no próximo ano, com a operação plena em 2016. Com o leilão adiado, a previsão mais otimista é de que o trem comece a funcionar em 2020.

 

Tarefas-a-cumprir-arte

Loading...
Revisa el siguiente artículo