Sem Rede, Marina Silva define seu futuro político nesta sexta

Marina acompanhou a votação no TSE | Pedro Ladeira/ Folhapress Marina acompanhou a votação no TSE | Pedro Ladeira/ Folhapress

Após ter a criação da Rede Sustentabilidade negada pelo TSE(Tribunal Superior Eleitoral), Marina Silva promete se pronunciar nesta sexta sobre a possibilidade de se filiar a um outro partido para a disputa presidencial de 2014. “Amanhã[hoje], vou dar uma coletiva para vocês[imprensa] dizendo qual é o meu posicionamento em relação à pergunta que vocês estão fazendo. Porque eu não discuti absolutamente nada sobre planos outros com ninguém”, disse Marina.

Com a rejeição do registro da Rede, o quadro partidário do país para as eleições do ano que vem está fechado. Serão 32 legendas, das quais sete disputam a filiação de Marina, principal adversária de oposição à presidente Dilma Rousseff.

Marina Silva tem até sábado para se filiar a algum partido para concorrer à Presidência.

Votação

Por seis votos a um, o TSE rejeitou o pedido de Marina para criação de um novo partido. Apenas o ministro Gilmar Mendes votou a favor da criação do partido e criticou o sistema manual de contagem de votos. Os outros ministros seguiram a decisão da relatora do processo, Laurita Vaz.

No julgamento, Laurita disse que a ex-senadora cumpriu todos os requisitos para a criação do novo partido, mas não apresentou o número mínimo de assinaturas exigidas pela lei para criar uma sigla.

Marina conseguiu o apoio confirmado de 442 mil pessoas, 52 mil a menos do que o necessário. Segundo a política, outras 95 mil assinaturas não entraram na conta por demora dos cartórios eleitorais.

Loading...
Revisa el siguiente artículo