Passaporte "antifuga" amarra médicos cubanos

Por Carolina Santos

claudio-humbertoAnunciada pelo Ministério da Saúde na quarta (21), a “importação” de 4 mil médicos cubanos ao Brasil desperta, além de controvérsias sobre a legalidade da contratação, expectativa sombria sobre a continuidade do serviço, através da Organização Panamericana de Saúde e seu braço-direito cubano privado, a Servimed: a possibilidade de deserção. Mas Cuba contorna o “problema” com um passaporte válido apenas na ilha.

Alerta vermelho. Presidente nos EUA da ONG Cuba Archive, a cubana Maria Werlau diz que o “passaporte vermelho” substitui papéis retidos por “supervisores”.

Vai vendo. Lula e Dilma são a prova viva da eficiente medicina cubana: curaram o câncer em São Paulo, mas Hugo Chávez morreu da doença em Cuba.

Menos iguais. Serão cidadãos de segunda classe os 4 mil médicos cubanos, que receberão da ditadura castrista apenas 7% dos R$ 10 mil pagos pelo Ministério da Saúde: o artigo 5º da Constituição diz que estrangeiros e brasileiros têm iguais direito à vida, liberdade, igualdade e segurança.

Pensando bem… …se o paciente já não entende a letra do médico, agora também não vai entender o que ele fala.

Discutindo a relação. Irmão de Natan Donadon, preso na Papuda, Melki Donadon contou ao presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), que o deputado ladrão tem problemas de saúde (é asmático) e que seu relacionamento é tenso na prisão, além de não se alimentar nem dormir direito.

Chapa de peso. Em busca de palanque no Rio, Eduardo Campos (PSB) também cogita apoiar Miro Teixeira (PDT) ao governo, com o ex-ministro José Gomes Temporão (PSB) de vice e Marcelo Freixo (PSOL) ao Senado.

Loading...
Revisa el siguiente artículo