Acesso à rede de esgoto é precário

Por Carolina Santos

Apenas uma a cada duas casas no Brasil ligadas à rede de água encanada tem acesso ao serviço de esgoto, segundo a pesquisa Saneamento Básico – Regulação 2013, divulgada ontem pela Abar (Associação Brasileira das Agências de Regulação).

De acordo com o levantamento, 50,3% das ligações de abastecimento de água não são complementadas com esgoto, nas cidades que têm regulação do serviço de saneamento – 48% dos municípios brasileiros, incluindo as grandes metrópoles.

A regulação fiscaliza e acompanha a qualidade dos serviços, além de definir regras para os reajustes de tarifas.

Das 5.570 cidades do país, apenas 2,716 possuem a regulação. Segundo a Lei do Saneamento, de 2007, a partir do próximo ano, o município que não tiver plano de regulação não poderá receber recursos federais.

O coordenador da pesquisa, Alceu Galvão, disse que o ritmo de crescimento da regulação é em torno de 18% ao ano.

Ainda segundo o estudo, 60% dos planos de regulação estão concentrados em São Paulo e Santa Catarina.

O presidente do instituto Trata Brasil, Edson Carlos, afirma que, desde 1970, o Brasil priorizou o acesso à água e desprezou o esgoto.

Carlos sugere que as obras do esgoto deveriam ser feitas em paralelo à de água encanada, mas foi desconectada dos planos políticos ao longo dos anos, por serem obras que estão enterradas e, assim, passam desapercebidas pela população.  Segundo ele, 20% dos brasileiros não têm água tratada.

20130820_SP07_Saneamento

Loading...
Revisa el siguiente artículo