Somente 10,5% das vagas do programa Mais Médicos são preenchidas

Por fabiosaraiva

Com uma oferta de 13.842 vagas ociosas para médicos atuarem na atenção básica em municípios mais pobres, o Ministério da Saúde recorerrá à Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), a ONGs (organizações não governamentais) e a convênios com os governos de Portugal, Espanha e Cuba para preenchê-las.

A preocupação do governo recai, principalmente, nos 703 municípios que não foram escolhidos por nenhum médico, incluindo os estrangeiros. Cuba foi o primeiro país a propor cooperação, com o envio de 6 mil médicos.

Após um mês de criação, o Programa Mais Médicos conseguiu que apenas 1.619 profissionais aceitassem a bolsa de R$ 10 mil para atuar no SUS (Sistema Único de Saúde), em 579 municípios.

Os estrangeiros terão agora que adquirir o visto de trabalho e passar por um curso de formação, com carga horária de 120 horas, a partir de 23 de agosto.

O Ministério da Saúde fará uma nova tentativa de atrair médicos. A segunda fase de seleção será feita a partir de segunda-feira. Os profissionais inscritos na etapa anterior também poderão se candidatar. Haverá mais uma chance para que os 2.059 municípios fora do programa se habilitem.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo