Governo pode pegar empréstimo para bancar redução das contas de luz

Declaração de Lobão foi rebatida pelo ministério da Fazenda / Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr/Arquivo Declaração de Lobão foi rebatida pelo ministério da Fazenda | Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr/Arquivo

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, confirmou que o governo pode pegar empréstimos para bancar a redução das contas de luz. Os fundos que bancam essa redução estão sem recursos e precisam de aporte financeiro.

Atualmente, o Tesouro Nacional realiza os aportes. Apenas nesta semana foram colocados quase R$ 800 milhões.

Lobão disse que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) pode lançar um novo estudo para captar dinheiro através de empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e da Caixa Econômica Federal.

Para o ministro, não há distinção entre as possibilidades de captação da Aneel. “Qual é a diferença do Tesouro ir tirar o dinheiro do seu cofre ou de um banco do Estado? Não há diferença nenhuma”.

Apesar da confirmação de Lobão, o ministério da Fazenda divulgou nota contradizendo a informação, que havia sido publicada pelo jornal “O Estado de São Paulo”.

Pela reportagem, o empréstimo dos bancos estatais seria bancado pelo Tesouro Nacional através da venda de títulos da dívida brasileira.

A nota do ministério diz que “não há qualquer estudo para que se utilizem empréstimos de bancos públicos, como fantasiosamente diz o jornal”.

Loading...
Revisa el siguiente artículo