Presidente do STE quer suspender repasse de dados

Por Carolina Santos

 

Presidente do TSE | Elza Fiura/Abr/Arquivo Presidente do TSE | Elza Fiura/Abr/Arquivo

A presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Cármen Lúcia, defendeu nesta quarta-feira a suspensão do acordo que prevê o repasse de informações de 141 milhões de eleitores à instituição Serasa.

Segundo ela, a recomendação será feita à Corregedoria do TSE, responsável pelo acerto que estabelecia a troca das informações por 1.000 certificados digitais.

O tribunal havia feito um acordo com a empresa privada controladora de cadastros, para repassar os dados dos eleitores brasileiros.

Mais cedo, o âncora da rádio BandNews FM, Ricardo Boechat, criticou a ação do TSE. “É um absurdo que o Estado brasileiro tenha tanto poder e nós não sejamos sequer consultados a respeito”, argumentou. (ouça ao lado a íntegra do comentário)

Boechat lembrou, ainda, que a ministra Cármen Lúcia, considerada um dos grandes nomes do Judiciário brasileiro, está no comando do TSE. “Tenho certeza que a ministra não foi consultada a respeito. E, se foi, deu uma vacilada”, acredita.

Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo