O que faz apenas 4% dos diretores de filmes de Hollywood serem mulheres

A ausência de mulheres entre os indicados para a categoria de melhor direção no Globo de Ouro levantou a discussão sobre representação de gênero em Hollywood.

Por BBC Brasil

A fala irônica de Natalie Portman ao anunciar os "indicados, todos homens" para o prêmio de melhor direção no Globo de Ouro levantou o debate sobre as oportunidades para diretoras mulheres em Hollywood.

Mas o cenário é ainda mais cinzento: estudos indicam a existência de uma barreira na indústria do cinema – que se manifesta particularmente na função de diretor.

Uma pesquisa da Universidade do Sul da Califórnia, Estados Unidos, analisou uma base de dados de 1.100 filmes populares produzidos de 2007 a 2016. Dos 1.223 diretores envolvidos nesses projetos, apenas 4% são mulheres.

Carreira de apenas um filme

Nesse período, a maior porcentagem de diretoras mulheres foi registrada em 2008 (8%) e a menor em 2013 e 2014 (1,9%).

9952188099513859infograficogenerocinema4-066a63d3160749d0bd905669696ae82e.jpg BBC

A pesquisa descobriu que a situação é ainda mais grave em relação à continuidade de oportunidades para as diretoras. A maioria delas trabalha em apenas um filme – 84%. Entre os homens, esse número é muito menor – 55%.

"Se você está tentando ter uma família ou trilhar um caminho em Hollywood, ter uma oportunidade a cada década não vai adiantar", escreveu uma das autoras da pesquisa, Katherine Pieper.

Esses números se refletem em toda a indústria do cinema, de acordo com pesquisa feita pelo Centro de Estudos sobre a Mulher na Televisão e no Cinema, da Universidade de San Diego, também nos Estados Unidos. Em 2016, as mulheres representaram apenas 17% de todos os diretores, roteiristas, produtores, editores e cineastas nos 250 filmes americanos de maior sucesso. Além disso, um terço desses filmes empregou apenas uma ou nenhuma mulher nessas funções.

9951385741feefbecaf349d8a50b3c91cb076a30-587e4001b7b2396e9576362ddb20c139.jpg Em 2016, um terço dos 250 filmes americanos de maior sucesso empregou uma ou nenhuma mulher em posições estratégicas, como direção | Foto: FMNG / BBC

Então, não deveria ser uma surpresa que esta barreira fique visível em cerimônias de premiação. No Globo de Ouro, a única mulher a ganhar o prêmio de melhor direção foi Barbara Streisand, por Yentl, em 1984. Apenas seis mulheres foram indicadas em todos os 75 anos de existência do prêmio.

No Oscar, a realidade das mulheres é ainda pior: desde a primeira edição, em 1929, apenas quatro mulheres foram nomeadas na categoria de melhor direção. A única vez em que uma delas venceu a estatueta foi em 2010 – Kathryn Begelow, com o filme The Hurt Locker (Guerra ao Terror, em português).

9952188399513861infograficogenerocinema-701a053b799a1c750d4bd2b078658e52.jpg BBC

Os pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia também mostraram a existência de um viés racial: apenas 3 mulheres negras, duas asiáticas e uma latina trabalharam como diretoras nos 1.100 filmes analisados.

"Os dados falam por si, alto e claro. Quando Hollywood pensa em uma mulher diretora, isso significa uma mulher branca. As descobertas também mostram que os pesquisadores não podem mais analisar apenas a situação de gênero", disse Stacy Smith, fundador e diretor da Iniciativa de Mídia, Diversidade e Mudança Social da Universidade do Sul da Califórnia, que encomendou o estudo.

©
Conteúdo Patrocinado
Loading...
Revisa el siguiente artículo